DESTAQUES

Veja os principais destaques corporativos desta segunda-feira, dia 22/06/2020

BTG
O BTG Pactual anunciou, em fato relevante, uma oferta primária de ações que pode movimentar até R$ 2,5 bilhões. A distribuição, a ser realizada em regime de esforços restritos, envolve 28,5 milhões de units, podendo ser acrescida de até 25% — na sexta-feira, os papéis fecharam cotados ao preço de R$ 70,9.

IMC
A International Meal Company (IMC) prepara uma oferta subsequente de ações que busca levantar entre R$ 100 milhões e R$ 300 milhões. A empresa é dona de redes de restaurantes como Viena, Pizza Hut, KFC e Frango Assado. Os recursos serão usados para fortalecer o caixa, adquirir franqueados e postos de combustível para a expansão da rede Frango Assado, uma das marcas que será foco de crescimento da empresa nos próximos anos. A empresa também poderá fazer um aumento de capital com subscrição privada de ações.

Banco de Brasília
O Flamengo e o Banco de Brasília (BRB) lançam em meados de julho uma operação de banco digital voltada aos torcedores do clube rubro-negro. O acordo prevê a oferta de conta corrente, cartões de crédito, cartões pré-pagos e produtos de seguridade e capitalização, com receitas compartilhadas meio a meio entre os dois parceiros. Leia mais aqui.

Magazine Luiza
A família controladora do Magazine Luiza e a diretoria da rede venderam R$ 123 milhões em ações ordinárias da empresa em bolsa ao longo de maio, segundo formulário enviado à Comissão de Valores Mobiliários (CVM) no início de junho. Foram diversas operações totalizando pouco mais de dois milhões de papéis. O volume negociado é pouco representativo dentro do total — cerca de 0,1% do valor de mercado da companhia. Ao se analisar o dia das transações e variação do preço do papel, não houve uma pressão maior das ordens de venda na cotação.

CVC
A operadora de turismo CVC iniciou conversas com debenturistas para evitar o vencimento antecipado dos papéis. O primeiro passo é obter o perdão (“waiver”, no jargão de mercado) dos investidores por não ter divulgado o balanço de 2019 e também do primeiro trimestre do ano dentro do prazo legal. A empresa foi diretamente afetada pela pandemia, mas seus problemas são anteriores à crise. Leia mais aqui.

Iochpe
A Iochpe-Maxion é outra em negociação com credores. A produtora de rodas para a indústria automobilística tenta obter dos credores um perdão prévio para o caso de não conseguir cumprir o compromisso de manter o índice financeiro inferior a 3,5 vezes. Nos últimos dias, os debenturistas apresentaram uma contraproposta. Assessorada por bancos, a empresa sugeriu pagar um prêmio aos debenturistas atrelado ao estouro do covenant. Ele varia de 0,5% se o estouro ficar entre 3,5 e 5 vezes até 1,5%, se ele superar 8 vezes. Essa tabela seria válida para cinco medições semestrais - feitas em junho e dezembro de 2020 e de 2021 e em junho de 2022.

IRB
A juíza Renata Mota Maciel, da 2ª Vara Empresarial de São Paulo (TJ-SP), negou na sexta-feira pedido do IRB Brasil Re de reconsideração da decisão que determinou que a companhia comprove que possui meios de arcar com o ressarcimento de R$ 1 bilhão por prejuízos causados a investidores. A ação civil pública, do Instituto Ibero-Americano, foi motivada pela queda muito acentuada das ações este ano, depois que a empresa teve a recorrência de resultados questionada pela gestora Squadra e perdeu seus principais executivos, desmentidos publicamente sobre a compra de ações da companhia por Warren Buffett.

CCR
O tráfego de veículos nas rodovias administradas pela CCR caiu 11,7% no período de 12 a 18 de junho, em comparação com os mesmos dias em 2019. Excluindo a ViaSul, que iniciou as cobranças de pedágio em fevereiro, a queda foi de 16,1%.

Localiza
A Localiza informou a renúncia de José Galló, vice-presidente do conselho de administração da companhia. Galló — que preside o conselho da varejista Renner — foi membro do conselho da Localiza por dez anos.

Share: